Indústria química paulista sente impacto do aumento do gás natural

Peso da matéria-prima no custo de produção do setor fica entre 50% e 70%, segundo Abiquim

Quando o nível de operação das indústrias químicas paulistas chega a 90%, o consumo estimado de gás natural pelas empresas do setor chega a 2 milhões de m³/dia. Desse total, metade é consumida como energético e a outra metade, como matéria-prima. Com isso, o aumento de 9% na tarifa do gás em São Paulo teve…

Se já for assinante, faça seu login

Entrar
Ou
Nosso conteúdo é exclusivo para assinantes, mas
você pode se cadastrar para continuar lendo

e ainda ter acesso a 3 matérias por mês. (apenas para não assinantes)

Cadastre-se aqui


Ou

O assinante da Brasil Energia tem acesso ilimitado a conteúdo exclusivo sobre todo o setor energético
elaborado por jornalistas qualificados e a análises de especialistas do mercado.
Apoie o jornalismo especializado e faça a sua assinatura por menos de R$ 2,70 por dia.

Assine
Leia também