Eletronuclear não terá ônus para rescindir contrato de energia de reserva de Angra 3

Usina deve firmar novo acordo com CCEE, com preço a ser definido e prazo de suprimento de 40 anos; início de operação comercial foi fixado como janeiro de 2026

A Aneel vai encaminhar ao Tribunal de Contas da União (TCU) e ao MME toda a documentação analisada pela agência que trata da implantação da usina nuclear Angra 3, que se encontra com as obras paradas desde 2015, com as investigações da Operação Lava-Jato. Entre os documentos, está uma avaliação segundo a qual a agência…

Se já for assinante, faça seu login

Entrar
Ou
Nosso conteúdo é exclusivo para assinantes, mas
você pode se cadastrar para continuar lendo

e ainda ter acesso a 3 matérias por mês. (apenas para não assinantes)

Cadastre-se aqui


Ou

O assinante da Brasil Energia tem acesso ilimitado a conteúdo exclusivo sobre todo o setor energético
elaborado por jornalistas qualificados e a análises de especialistas do mercado.
Apoie o jornalismo especializado e faça a sua assinatura por menos de R$ 2,70 por dia.

Assine
Leia também