Cobertura jornalística da política energética relacionada aos diversos segmentos e de fatos relevantes desde a geração, especialmente renováveis, até o consumo, com ênfase em eficiência e conservação.
7 de novembro de 2019 - CONTEÚDO DE RESPONSABILIDADE DO ANUNCIANTE

Uma nova solução para proteção contra
vazamento de óleo em subestações

Tecnologia exclusiva para monitorar e bloquear a passagem do óleo em caso de vazamentos

Subestações com espaço reduzido e novos empreendimentos em construção necessitam de uma solução eficiente para reter o óleo isolante em caso de vazamentos de transformadores de potência e equipamentos relacionados. Para atender esta necessidade, o Instituto Centro de Gestão de Tecnologia e Inovação (CGTI) desenvolveu o Dispositivo Separador Óleo-Água, lançado recentemente no XXV Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica – SNPTEE, que ocorreu em Belo Horizonte (BH), de 10 a 13 de novembro.

O novo equipamento separa e retém o óleo e monitora e sinaliza os vazamentos. Uma caixa separadora com mantas absorvedoras deixa passar somente a água para o sistema de drenagem de águas pluviais das instalações de energia elétrica. Em caso de grandes vazamentos, a válvula que compõem o Dispositivo é fechada automaticamente para impedir que óleo seja derramado e contamine o solo e lençóis freáticos.

Além da caixa separadora com mantas absorvedoras e a válvula de retenção, o Dispositivo é composto por sensores responsáveis pela atuação do monitoramento e sinalização de grandes vazamentos para a Central de Operação das subestações e um painel instalado na caixa do lado de fora indica a presença de ar, água ou óleo.

Para as subestações que ainda não se adequaram a Norma NBR 13.231-2015, que estabelece diretrizes para ações de proteção contra incêndio, o Separador Óleo-Água é uma solução econômica e ambientalmente correta. “As características do Dispositivo viabilizam a adequação das subestações em operação que não possuem espaço para construir caixas separadoras de grandes dimensões e ainda otimizam custos”, explica o engenheiro eletricista, Adelfo Braz Barnabé, diretor do CGTI.

Dimensões reduzidas e fácil instalação

Como parte do Sistema de Drenagem das subestações, o Dispositivo representa uma alternativa às caixas tradicionais de separação por ter menores dimensões e ser de fácil instalação.

A caixa separadora do Dispositivo é construída em fibra de vidro e possui camadas de resinas, suportando temperaturas de até 240 °C, suficiente para operação com óleo isolante mineral e vegetal. Seu peso é de aproximadamente 55 quilos e as suas dimensões são reduzidas, de aproximadamente: 1m x 0,6m x 0,6m, até 50 vezes menor que o sistema convencional.

O Dispositivo é instalado em um fosso de concreto de inspeção que deve ser integrado à bacia coletora, localizada sob os equipamentos da subestação.

P&D

A inserção de mercado do Dispositivo Separador Óleo-Água faz parte do projeto do CGTI com a EDF Norte Fluminense cooperado com Light desenvolvido através do Programa Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL).

Sobre o CGTI

O CGTI é referência no desenvolvimento de projetos de pesquisa e inovação, inserindo novos produtos no setor elétrico, mitigando riscos, agregando ineditismo e alto padrão de qualidade nos resultados alcançados. Nos seus 16 anos de história, foram mais de 135 projetos realizados.

Contato: Comercial

Email: [email protected]

Telefone: (19) 9 9967-8282

Website: http://www.dispositivoseparador.com.br